Escoliose: a cirurgia

Tratamentos

Dr. Emiliano Vialle, Cirurgião de Coluna Vertebral

2016

CIRURGIA : PORQUE E QUANDO

Como já foi explicado, a escoliose progride e piora durante o estirão de crescimento. Além disso, algumas curvas pioram mais que as outras, e algumas curvas pioram mesmo com o uso do colete.

O uso do colete visa conter a progressão da curvatura escoliótica durante o estirão de crescimento, mesmo que posteriormente haja necessidade de cirurgia.

Os objetivos da cirurgia são os seguintes:

  • REDUÇÃO DA CURVATURA
  • BLOQUEIO DA PROGRESSÃO DA DEFORMIDADE
  • PREVENÇÃO DE PROBLEMAS CARDIO-RESPIRATÓRIOS E NEUROLÓGICOS
  • MELHOR APARÊNCIA ESTÉTICA DO PACIENTE
  • MELHOR QUALIDADE DE VIDA NO FUTURO

A cirurgia geralmente é capaz de reduzir a escoliose em 50 a 70%, mas não necessariamente retira a gibosidade dorsal.

O principal objetivo da cirurgia é realinhar a coluna através de implantes metálicos inseridos permanentemente nas vértebras. Estes implantes auxiliam na redução da deformidade e da gibosidade dorsal. Esta última diminui com a cirurgia, mas raramente desaparece por completo. Em casos onde a gibosidade é muito grande, o cirurgião pode propor um cirurgia alternativa para correção desta.

Nenhuma cirurgia para escoliose é obrigatória se não há risco de vida ao paciente. Entretanto, curvas maiores que 40-50 graus tendem a progredir mesmo após o final do crescimento.

Grandes deformidades podem levar a problemas cardio-respiratórios e a dor crônica. Além disto, quanto maior a curva, mais difícil é a correção e menor a redução da deformidade; os resultados não são tão bons quanto as cirurgias para curvas menores, e os riscos cirúrgicos também aumentam.

VANTAGENS DA CIRURGIA NO ADOLESCENTE

  • PROBLEMAS RESPIRATÓRIOS: uma escoliose grave, se deixada sem tratamento, pode resultar em problemas respiratórios devido à deformação progressiva do tórax, por volta dos 40-50 anos de idade.
  • FLEXIBILIDADE DA COLUNA: normalmente nosso corpo é mais flexível quando somos mais jovens. O mesmo se aplica à coluna vertebral, facilitando a correção cirúrgica e o realinhamento da coluna.
  • ALTERAÇÕES ESTÉTICAS: com a progressão da escoliose, a gibosidade dorsal torna-se mais pronunciada, o tronco pode aparentar estar deslocado lateralmente em relação aos quadris, um seio pode ficar mais proeminente que o outro, e a linha do quadril torna-se assimétrica. Todas essas alterações, somadas, pode causar problemas psicológicos ao paciente.
  • MELHOR FORMA FÍSICA E RECUPERAÇÃO MAIS RÁPIDA: de uma maneira geral, temos uma melhor saúde quando jovens, com uma recuperação mais rápida e menor risco de complicações. Ainda, é muito mais fácil se recuperar de uma cirurgia quando não existem obrigações (trabalho, filhos, casa, etc...). Se um adolescente requer semanas para se recuperar de uma cirurgia, um adulto pode necessitar de vários meses de recuperação.

 

PERÍODO HOSPITALAR

Pré-operatório

Alguns hospitais requerem que o paciente esteja internado na noite anterior à cirurgia. Outros preferem que você chegue na manhã da cirurgia, permitindo que você durma em casa. Entretanto, você deve chegar ao hospital por volta das 6:00 AM para que não ocorram atrasos na cirurgia.

Você não deve ingerir alimentos ou líquidos a partir das 10:00 PM na noite anterior à sua cirurgia.

Acomodações

Seus pais podem permanecer no hospital durante seu internamento. Apenas uma pessoa pode passar a noite no quarto com você. Caso haja necessidade de permanecer na unidade de recuperação após a cirurgia, as regras dessa unidade serão explicadas a você no hospital.

Consentimento informado: autorização para cirurgia

Do ponto de vista Legal, você pode aceitar ou recusar a cirurgia. Se você concorda em submeter-se ao procedimento cirúrgico, você deve assinar uma autorização. Através deste, você permite ao cirurgião a realização da cirurgia e ao anestesista a indução da anestesia. Este documento protege os seus direitos, assim como os do seu médico e os do hospital.

Caso você seja menor de idade, um de seus pais ou responsável deve assinar o termo de consentimento.

ANESTESIA

Seu anestesista fará uma avaliação antes da cirurgia. Esta pode ser feita no consultório, ou logo após seu internamento no hospital. Ele será responsável por lhe explicar o procedimento de anestesia, e caso necessário, poderá lhe prescrever uma medicação para lhe ajudar a dormir na noite anterior à cirurgia.

A MANHÃ DA CIRURGIA

Você deve estar em jejum desde a noite anterior a cirugia. isto inclui balas e gomas de mascar. Isto é fundamental para evitar o risco de vômito e aspiração do conteúdo do seu estômago para dentro dos pulmões durante a cirurgia.

Você deve lavar todo seu corpo antes da cirurgia, incluindo seu cabelo. Suas unhas devem estar curtas e limpas, sem esmalte. Evite o uso de cremes e perfumes, e se seu cabelo for longo você deve utilizar um prendedor de cabelo não metálico (elástico) para prender seu cabelo para trás. O uso de maquiagem não é permitido no dia da cirurgia.

Medicações de rotina: se você usa algum medicamento rotineiramente, avise seu médico e anestesista. Traga as medicações com você, mas elas devem ser administradas pela equipe hospitalar, já que algumas doses podem ser modificadas durante seu internamento.

Se você utiliza pílulas anti-concepcionais, avise seu médico. Alguns hematologistas recomendam que seu uso seja interrompido um mês antes da cirurgia.

Lentes de contato não devem ser utilizadas no seu internamento. Lembre-se de trazer óculos com você caso esteja acostumado a usá-los.

INDO AO CENTRO CIRÚRGICO

Lembre-se que seus pais ou acompanhantes podem ir com você até a entrada do centro cirúrgico com você, mas permaneceram fora dele durante a cirurgia. É rotina que os pacientes sejam levados ao centro cirúrgico numa maca ou na própria cama.

SALA DE CIRURGIA

Você será recebido pela equipe de enfermagem, que será responsável por você durante toda a cirurgia. Alguns aparelhos serão conectados ao seu corpo para melhor controle de seus dados vitais.

É recomendável que seus pais aguardem no quarto durante a cirurgia, já que o procedimento dura cerca de 4-5 horas. A equipe de enfermagem geralmente comunica a família, por telefone, sobre o andamento da cirurgia.

ANESTESIA

O anestesista fará com que você adormeça fazendo com que você respire através de uma máscara e injetando medicamentos através de uma acesso venoso, que ele mesmo instalará no seu braço.

Uma vez dormindo, um tubo será posicionado nas suas vias respiratórias, através da sua boca. Isso permite ventilar seus pulmões e uma oxigenação perfeita de todo seu corpo durante a cirurgia.

Em algumas cirurgias, há necessidade de transfusão sanguínea, que é determinada pelo anestesista em conjunto com o cirurgião. Esse sangue geralmente é retirado do seu próprio corpo antes da cirurgia (num processo chamado autodoação), ou em alguns casos pode ser doado por seus pais ou familiares.

INCISÃO CIRÚRGICA

Após a anestesia, o cirurgião irá preparar a sua pele para a cirurgia com uma solução de povedine-iodo. É importante que você avise a equipe médica em caso de alergia a IODO, pois outros produtos podem ser utilizados em seu lugar. Em seguida, campos estéreis são colocados sobre seu corpo ao redor da área a ser operada, com o objetivo de evitar infecções.

O tamanho e local da incisão varia com o tipo de cirugia planejada, tipo de intrumentos a serem implantados, e com a preferência do cirurgião. Uma segunda incisão pode ser necessária, caso haja necessidade de retirar enxerto ósseo, na região da pelve (cintura).

IMPLANTES CIRÚRGICOS

Parafusos, ganchos e hastes feitos de aço ou titânio são utilizados para auxiliar na correção da deformidade. Rejeição a este tipo de metal é extremamente rara, já que são bem tolerados pelo seu corpo.

Existem várias técnicas similares para tratar a escoliose cirugicamente. Independente do material utilizado, o objetivo é o mesmo: inserir o implante nas vértebras para corrigir a deformidade.

ARTRODESE (FUSÃO ÓSSEA)

A fusão óssea permite que a correção de deformidade não seja perdida no futuro. Ela ocorre através da colocação de pequena quantidade de osso retirado de seu osso ilíaco (o osso da bacia), sobre as articulações da coluna, expostas durante a cirurgia.

Os implantes metálicos obtêm a correção imediata da deformidade, mas sua principal função é manter a coluna alinhada até que a fusão óssea ocorra. Sem isso, com o tempo os implantes podem se enfraquecer e quebrar.

WAKE-UP TEST (TESTE DO DESPERTAR)

Uma fez feita a correção cirúrgica, é importante saber que esta não interferiu no funcionamento da medula espinhal. Isto é feito através de uma redução gradual da anestesia, até que você acorde. O anestesista pedirá que você mova seus pés, e sua resposta será observada por um dos auxiliares cirúrgicos. Assim que o teste termine você voltará a dormir. As medicações analgésicas aplicadas pelo anestesista impedem que você sinta qualquer dor durante este procedimento, e na maioria das vezes o paciente não lembra de ter realizado o teste.

Caso o teste mostre alguma modificação no movimento das pernas, o cirurgião reduz a correção da deformidade até que estes sejam normalizados, e caso a alteração persista, todos os implantes são retirados, e o tratamento deve ser modificado. Este teste é feito de rotina, mas o risco de alteração do funcionamento dos nervos ocorre apenas em curvas maiores que 80 graus, ou quanto alguma alteração prévia da medula espinhal existe.

FIM DA CIRURGIA

Uma vez encerrada a cirurgia, a incisão cirúrgica é fechada com fios de sutura que serão absorvidos pelo seu próprio corpo. Isto significa que NÃO há necessidade de retirar os pontos posteriormente. Você será levado a uma área de recuperação, até que recupere completamente a consciência e seus dados vitais sejam reestabilizados.