Espondilolistese

Doenças & Problemas

Dr. Emiliano Vialle, Cirurgião de Coluna Vertebral

2016

Definição:

  • Espondilo: vértebra
  • Lise: defeito ósseo
  • Listese: escorregamento

É uma falha da junção entre as porções anterior e posterior da coluna, que pode cursar, em algumas pessoas, com dor lombar e com escorregamento de uma vértebra sobre a outra.

Causas

  1. Falha de união dos núcleos de ossificação (defeito de crescimento)
  2. Postura ereta (não há relato de espondilolise em outros animais)
  3. Microtrauma repetitivo (ginástica olímpica, por exemplo)
  4. predisposição genética + stress local

Incidência Aos 6 anos de idade = 5% adultos = 6% (ou seja, uma porção significativa da população tem a falha, mas apenas uma pequena parte terá sintomas) Clínica A grande maioria dos pacientes é assintomático, e o sintoma inicial é de lombalgia, na maioria dos casos não há relação entre escorregamento⬄ dor Mais comum em homens do que mulheres, mas estas têm maior risco de progressão Atletas➔ ginástica, luta O paciente pode apresentar, além da dor lombar:

  • Encurtamento de isquio-tibiais (musculatura posterior da coxa)
  • Sintomas neurológicos (dor irradiada para a perna)
  • Flexão progressiva da pelve, encurtamento do tronco (postura alterada)

Melhor imagem. Indicadas na presença de sintomatologia neurológica. Descartar patologia do tecido nervoso associada Risco de progressão

  • Jovens em crescimento
  • Forma displásica
  • Sexo feminino

Tratamento conservador

  1. restrição de atividades
  2. colete: reduz a lordose, requer uso por tempo integral, bom resultado > 80% (grau 1) em jovens 3-6 meses c/ retirada gradual
  3. fisioterapia: alongamento fascia dorsolombar e fortalecimento abdominal auxiliam na estabilização da coluna, reduzindo as crises de dor.

Retorno às atividades

  • Sem sintomas e escorregamento<25%➔ atividade normal
  • Sem sintomas e escorregamento>25% <50%➔ atividade s/ impacto
  • Mais de 50%  de escorregamento➔ cirurgia se os sintomas persistirem apesar de uma reabiltação bem feita.

Tratamento cirúrgico Na falha do tratamento conservador, a cirurgia pode melhorar os sintomas do paciente. Esta consiste de uma artrodese (união óssea) entre as vértebras afetadas, que pode ser feita com cirurgia por via posterior (pelas costas), por via anterior (pelo abdomen), ou por via combinada (duas cirurgias). Artrodese posterior Indicações

  • falha do tratamento conservador
  • progressão da deformidade
  • escorregamento >50%
  • alteração postura / marcha

Esta cirurgia consiste da colocação de parafusos e barras no segmento afetado, seguida da colocação de enxerto ósseo para obter a consolidação da região que contém o defeito (lise).

Reparo direto do defeito: pode ser feito em alguns casos selecionados. Indicações:

  • Nível afetado de l1-l4
  • Pacientes com menos de25 anos
  • Ausência de sinais de desgaste da coluna
  • escorregamento de 1-2 mm no máximo
  • defeito em múltiplos níveis

Artrodese anterior cirurgia menos comum, na maioria das vezes serve como complemento à cirurgia via posterior. Indicações:

  • escorregamentos graves
  • falha da artrodese posterior

Redução Quando há escorregamento de uma vértebra sobre outra, pode-se diminuir este escorregamento com a cirurgia em alguns casos. Indicações:

  • escorregamentos grandes
  • reduzir angulo do escorregamento
  • reduzir risco de progressão pós-fusão

Conclusão É uma doença relativamente comum. Na maioria das vezes o tratamento conservador é eficaz, e na falha deste, a cirurgia pode ser realizada.

  • Se há escorregamento da vértebra, este pode ser reduzido em alguns casos